Ilê Axé Aganju Ixolá

 

Foto do Ilê em 2015.

Foto do Ilê em 2015.

 

Ilé Omi Ìyámase – Asé Aganju Isolá.

A casa de Aganju foi aberta por determninação de Osossi durante o odun de 2002, nas aguas, de Oxala, no Ilê Axé Òpó Afonjá de Coelho da Rocha. Sob a orientação de Airá foi determinada a consulta a Aganju e Osossi para a data de recolhimento do primeiro iyawo, o que foi plenamente aceita por Osossi e acolhido por Aganju.

Por determinação de Aganju foi iniciada no Axé de Coelho da Rocha a primeira ekede e Iyá Obá de Sango, Cristiane de Yemojá – Ijoye Aladê Obá, em 06.11.2002. Em seguida, o iyawo Rodrigo de Osossi foi iniciado em 12.11.2002, sob a orientação da Ìyálorisa Regina Lúcia de Yemojá. O nome do referido iyawo, Odé Omilayó, em 01.12.2002 ficou determinado como marco inaugural da casa de Itaipu.

O imóvel que abriga o axé de Aganju foi, como no Afonja de Coelho da Rocha, doado por Osum. A mãe carnal do babalorixá Maurício de Aganju, Ely – Osun Omitonile, iniciada também pelo babalorixá Joaquim Motta em 09.10.1991, Osun, na cabeça de sua filha, doou a casa e os bens nela contidos a Aganju no ano 2000.

A partir da iniciação do primeiro iyawo, o imóvel passou por uma reestruturação para abrigar o Ilê Axé como um todo.

De 2002 à 2015 foram iniciados 32 adoxus, 09 ogans e 09 ekedes.

 

 

Facebook